A razão urbana fotografada: imagens do aterro da Avenida Beira-Rio por Léo Guerreiro e Pedro Flores (1950-1960).

Karina dos Reis Kerpen

Resumo


No presente artigo foram analisadas as fotografias aéreas da construção do aterro da Avenida Beira-Rio, feitas por Léo Guerreiro e Pedro Flores na cidade de Porto Alegre. A análise objetivou a seqüência de oito fotografias executadas em 1959. O propósito do artigo foi o de reconstruir o expressivo processo de transformação urbana que este aterro representou para Porto Alegre, a partir do trabalho de dois dos fotógrafos responsáveis pelas imagens oficiais produzidas pelo Palácio Piratini – sede do Governo Estadual do Rio Grande do Sul.

Palavras-chave


Urbanização. Fotografia. Aterro

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Universidade Federal do Rio Grande - FURG


A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia