Tradição e modernidade: as bandas civis em Campos dos Goytacazes

Karina Barra Gomes, Simonne Teixeira

Resumo


Este artigo tem como tema principal as centenárias sociedades musicais em Campos dos Goytacazes (RJ) e se propõe, a partir de um recorrido histórico sobre suas origens no Município, refletir desde o campo das políticas culturais sobre o caráter social destas instituições na atualidade. Neste sentido, buscamos compreender os processos de formação da identidade dos músicos tecida nos espaços de produção de cultura local, ao mesmo tempo em que almejamos compreender os processos de construção de memória que dão sustentação à sobrevivência destas agrupações musicais. A permanência das bandas civis no cenário musical do Município expressa sua capacidade de assimilar a modernidade como forma de resistência, sem perder os elementos que as estruturam: a identidade, a memória e a solidariedade.

Palavras-chave: Bandas Civis. Políticas Culturais. Identidade. Memória. Campos dos Goytacazes.


Palavras-chave


Bandas Civis; Políticas Culturais; Identidade; Memória; Campos dos Goytacazes

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Renato. História da Música Brasileira. Rio de Janeiro: F. Briguiet & Comp. Editores, 1942.

ANDRADE, Mario de. Pequena História da Música. 6 ed. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1976.

ARAÚJO, Alceu Maynard. Cultura Popular Brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 1977.

ARAÚJO, José Mozart de. [Música] Atlas Cultural do Brasil. Brasília: CFC/MEC/FENAME, 1972.

CANCLINI, Néstor García. Introducción. Políticas culturales y crisis de desarrollo: um balance latinoamericano. In: CANCLINI, Néstor Garcia (Org.). Políticas Culturales em América Latina. México: Editoral Grijalbo, 1987, p. 13-61.

CASTAGNA, Paulo. Música na América Portuguesa. In: MORAES, José Geraldo Vinci de; SALIBA, Elias Thomé (Orgs). História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010, p. 35-76.

CASTAGNA, Paulo. A música como instrumento de catequese no Brasil dos séculos XVI e XVII, D.O. Leitura, São Paulo, ano 12, n. 143, abr., p. 6-9, 1994.

CASTRO, Flávia Lages; RODRIGUES, Luiz Augusto. Gestão Cultural. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2017.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano – Artes de fazer. 22. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

COSTA, Manuela Areas. Música e história: um estudo sobre as bandas de música civis e suas apropriações militares. Tempos Históricos, v.15, 1º semestre, p. 240-260, 2011.

CRUIKSHANK, Julie. Tradição oral e história oral: revendo algumas questões. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes. (Orgs). Usos e abusos da história oral. 3 ed., Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000, p.149-164.

DINIZ, André. O Rio Musical de Anacleto de Medeiros: a vida, a obra e o tempo de um mestre do choro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2007.

Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2019.

DOURADO, Henrique Autran. Dicionário de termos e expressões da música. São Paulo: Editora 34, 2004.

GOMES, Karina Barra. Conservatório para o povo. Monografia (Graduação), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Rio de Janeiro-RJ, 2003.

GONDAR, Jô. Quatro proposições sobre memória social. In: GONDAR, Jô; DODEBEI, Vera (Orgs.). O que é memória social? Rio de Janeiro: Programa de Pós-graduação em Memória Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2005, p.11-26.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro. 2001. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

LAMEGO, Alberto. O Solar do Colégio. Revista do Serviço do Patrimônio Artístico Nacional, Rio de Janeiro, Ministério da Educação e Saúde, nº2, p.21-41, 1938.

LE GOFF, Jacques. Memória-História. Lisboa: Enciclopédia Einaudi, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, vol.1, p.11-50, 1997.

MACHADO, Cacá. Batuque: mediadores culturais no final do século XIX. In: MORAES, José Geraldo Vinci de; SALIBA, Elias Thomé (Orgs). História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010, p. 119-160.

NORA, Pierre. Entre memórias e histórias – a problemática dos lugares. Projeto história, n.10, p.7-28, 1993.

OLINTO, Antônio. Minidicionário Antônio Olinto da Língua Portuguesa. São Paulo: Moderna, 2001.

RIBEIRO, Joaquim. Folclore do açúcar. Rio de Janeiro: Campanha em Defesa do Folclore Brasileiro, 1977.

SÁ, Miguel A. Heredia de. Festa de Santo Amaro, em Campos, Jornal Ostensor Brasileiro, Rio de Janeiro, n.38, 1845 p. 299-300. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2018.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. Memória Coletiva e Teoria Social. São Paulo: Annablume, 2003.

SILVA, Joilson Bessa. Salas de cinema em Campos dos Goytacazes: lugar, sociabilidade e políticas culturais – da década de 1960 aos anos 2010. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal Fluminense - UFF/IFLCH, Campos dos Goytacazes - RJ, 2017.

SIQUEIRA, José. A música brasileira no cyclo da Canna de Assucar, A semana, Campos dos Goytacazes, 9 set., p. 64-65, 1939.

SOUSA, Horácio. Cyclo Áureo: história do primeiro centenário de Campos (1835-1935). Itaperuna: Damadá, 1985.

TEIXEIRA, Simonne. Tempo de cavalhada. In: TEIXEIRA, Simonne. (Org.). Contribuições à prática pedagógica para a Educação Patrimonial. Campos dos Goytacazes: EdUENF, 2008, p. 34-36.

TINHORÃO, José Ramos. Música Popular: um tema em debate. São Paulo, Ed. 34, 1997.

VENTOSA, Victor J. Didática da participação: Teoria, metodologia e prática. São Paulo: Ed. SESC, 2016.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1979.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Desde 07 de março de 2009 

Programa de Pós-Graduação em História

Universidade Federal do Rio Grande - FURG

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia