A história e os homens memoráveis: relações de gênero no Império Ultramarino Português (séculos XVI-XVII).

Mário Martins Viana Júnior

Resumo


Este artigo propõe uma breve análise sobre a construção de masculinidades no Império Ultramarino Português dos séculos XVI e XVII. Para tanto, daremos ênfase à escrita da história operada pelo conquistador e historiador Duarte de Albuquerque, tomando como parâmetro as caracterizações e relações "engendradas" pelos sujeitos que faziam parte do Reino e de suas conquistas.


Palavras-chave


Império Português; Masculinidade; História

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Miguel Vale de. Senhores de si: uma interpretação antropológica da masculinidade. Lisboa: Fim de século, 1995.

BICALHO, Maria Fernanda Baptista. Dos “Estados nacionais” ao “sentido da colonização”: história moderna e historiografia do Brasil colonial. In: ABREU, Martha; SOIHET, Raquel; GONTIJO, Rebeca (orgs.). Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

BOURDIEU, Pierre. Razones prácticas. Sobre la teoría de la acción, Barcelona, Anagrama, 1997.

______. A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kuhner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

______. Da casa do rei à razão de Estado: um modelo da gênese do campo burocrático. In: LOIC, Wacquant (Org.). O mistério do ministério – Pierre Bourdieu e a política democrática. Rio de Janeiro: Revan, 2005.

COELHO, Duarte de Albuquerque. Memorias Diarias de la guerra del Brasil. Impresso del Reyno: Madrid, 1654.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Grall, 1979.

______. História da Sexualidade I: A vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

______. A verdade e as formas jurídicas. Tradução de Roberto Cabral de Melo Machado e Eduardo Jardim Morais. Rio de Janeiro: NAU, 2003.

______. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 38. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2004.

FRAGOSO, João Luis Ribeiro; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima Silva (orgs.). O Antigo Regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa, séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

MAGALHÃES, Joaquim Romero (coord.). História de Portugal: no alvorecer da modernidade (1480-1620). Portugal: Estampa,1997. Vol. 3.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. Raízes da Formação Administrativa do Brasil. Instituto Histórico e Geográfico do Brasil; Conselho Federal de Cultura, 1972.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo F. Elites e Poder: entre o Antigo Regime e o Liberalismo. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2003.

RAMOS, Rui; SOUSA, Bernardo Vasconcelos; MONTEIRO, Nuno Gonçalo. História de Portugal. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2012.

SALVADOR, Frei Vicente do. História do Brasil. Bahia: [s.n.], 1627. [Nova edição revista por Capistrano de Abreu, publicada em 1918 pela Weiszflog Irmãoes]. Disponível em: . Acesso em: 11/02/2013. [A versão utilizada neste trabalho encontra-se disponível em: . Acesso em: 11/02/2013].

VEYNE, Paul. Acreditavam os gregos nos seus mitos? Lisboa: Edições 70, 1983.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Universidade Federal do Rio Grande - FURG


A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia