Mundos Torcidos: diferenças entre crioulos e africanos na dinâmica da construção de comunidades de grandes propriedades no Sudeste brasileiro do século XIX.

Carlos Engemann

Resumo


Este trabalho tem como objetivo identificar e analisar elementos constitutivos das relações entre grupos de escravos oriundos da diáspora africana e seus pares nascidos no Brasil, em busca de um padrão cultural e de fundamentos morais que organizariam as diferenças instauradas no cativeiro, buscando compreender um pouco mais a dinâmica do manuseio de patrimônios imateriais, quer trazidos na travessia do Atlântico, quer produzidos nas senzalas brasileiras. Para tanto, foram selecionados, por simples conveniência de método, alguns dos maiores proprietários de escravos do Vale do Paraíba fluminense e foram usadas algumas fontes já clássicas no estudo da escravidão, em especial: inventários post-mortem, lista de batismos e de óbitos e processos crimes.

Palavras-chave


Diáspora africana, escravidão, Vale do Paraíba, comunidade escrava

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

 

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia