Câmara municipal e família: instituições de poder no Brasil meridional (primeiras décadas do Século XIX)

Ricardo Schmachtenberg

Resumo


No universo complexo da sociedade brasileira, no período colonial e também no imperial, tem-se aprofundado, na última década, as discussões, os debates e as pesquisas em torno da História da Família e da Câmara Municipal e suas correlações. Se utilizando e explorando um universo de fontes variadas, tanto de cunho quantitativo como qualitativo, aliado a referências da Demografia Histórica, da Nova História Política e da Micro-História, essas duas importantes instituições mantiveram uma relação muito mais de reciprocidade do que de distanciamento, ou seja, era nesse universo que as redes, as estratégias e relações de poder se articulavam e se concretizavam. Esse artigo procura analisar esse universo, envolvendo essas duas instituições na formação e constituição de uma complexa rede de relações de poder na Vila de Rio Pardo, Província do Rio Grande de São Pedro, nas primeiras décadas do século XIX. De um lado a câmara municipal e o poder que dela emana e de outro, a família e os poderes dela constituídos. Separadamente, são importantes mecanismos de poder, juntas, permitem, a partir de estratégias, atingirem um nível elevado das relações sociais, econômicas e políticas de uma sociedade. 


Palavras-chave


câmara municipal, família, instituições de poder

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v7i14.285

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

 

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia