A revolta monárquica de 1912 em Cabeceiras de Basto – Braga

Norberto Tiago Gonçalves Ferraz

Resumo


O regime da Iª República Portuguesa enfrentou, desde o seu triunfo em 1910, a oposição de forças conservadoras que visavam a restauração do deposto regime monárquico. Em 1912 teve lugar uma invasão de exilados monárquicos a partir da Galiza que pretendia sublevar o norte de Portugal. Este artigo pretende apresentar o decurso desses acontecimentos no concelho de Cabeceiras de Basto, distrito de Braga, mas também analisar as dinâmicas político-sociais locais que justificam o comportamento da população, o seu desapego às instituições republicanas e a influência de certas individualidades sobre os habitantes. Este trabalho foi possível mediante o estudo comparativo e qualitativo de fontes documentais do município, diários do governo e jornais locais da época.


Palavras-chave


República; Monarquia; Cabeceiras de Basto

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v7i14.238

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Desde 07 de março de 2009 

Programa de Pós-Graduação em História

Universidade Federal do Rio Grande - FURG

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia