Arranjos e relações familiares na velhice: um estudo sobre famílias com idosos no Rio Grande do Sul.

Marilia P. Ramos

Resumo


O artigo se refere aos resultados de uma pesquisa que identifica o perfil dos arranjos familiares e o papel das trocas não balanceadas nas transições nos arranjos familiares da população idosa de 10 municípios no Rio Grande do Sul. Os dados são oriundos de 2 pesquisas as quais foram um conjunto de dados longitudinais. Aqueles dados são usados para estimar modelos de risco que medem os arranjos de vida características demográficas, estrutura da família e trocas sociais na primeira pesquisa (1995). Especificamente foram usados modelos de risco para identificar transições dentro da família e mortalidade dos idosos entre os anos das duas pesquisas. Os resultados indicam que relações sociais com trocas não balanceadas são parte integral do processo de transição nos arranjos de vida.

Palavras-chave


O apoio social. Mortalidade. Condições de vida. Adultos mais velhos.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

 

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia