E os trabalhadores pararam as máquinas: A greve geral em defesa de João Goulart na cidade-fábrica Rio Tinto (Paraíba, 01 de abril de 1964).

Eltern Campina Vale

Resumo


A cidade-fábrica Rio Tinto - propriedade da família Lundgren e inaugurada em
1924 - presenciou a atuação de um dos mais emblemáticos movimentos operários
registrados na Paraíba. Este artigo – fundamentado em considerado material empírico -
apresenta, para tanto, um momento histórico extraordinário: a decretação de uma greve
geral em Rio Tinto no dia do golpe civil-militar de 1964, em favor do Presidente João
Goulart. Esta paralisação de resistência, seguiu orientações da C.G.T, e seus significados
obrigatoriamente se confundem com o nível de organização que os trabalhadores estavam
implementando contra os seus patrões – os Lundgren. O golpe se constitui, destarte, um
marco de coerção ao movimento operário de Rio Tinto.
Palavras


Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

 

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia