Iracema, para além das expectativas. Ficionalização da História em José de Alencar.

Tito Barros Leal

Resumo


Iracema (1865), obra maior de José de Alencar, mistura em seu enredo fabular Literatura e História. Escrita a partir da perspectiva do como-deve-ter-sido, a Lenda do Ceará traça o panorama de um possível universo colonial reinventando o tempo dos primeiros contatos interétnicos. Conferindo movimento e cor às narrativas colhidas nos cronistas do Brasil colonial, José de Alencar transcende a estáticamonocrômica própria daqueles documentos históricos e (re)constrói as práticas e mentalidades de um passado distante. O poema em prosa revela, portanto, uma perspectiva historiográfica muito peculiar, intimamente ligada à estética nacionalista proposta pelo escritor cearense. A intenção deste artigo é, pois, discutir as característica desta obra clássica da literatura brasileira contribuindo para a percepção de um José de Alencar, historiador à sua maneira.

Palavras-chave


Iracema. José de Alencar. Historiografia.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Desde 07 de março de 2009 

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia